TRUFAS – Almanaque de Silas Correa Leite

T  R  U  F  A  S

 

ALMANAQUE  WEB LUSTRAL  (A LISTA DO SILAS)

 

A Poesia me entende muito

mais do que muita gente

Silas e suas ‘siladas’

…………………………..

 

O que mais admiro nos homens brucutus e boêmios? A eterna dependência emocional das mulheres límpidas que os nutrem de zelo íntimo e muita sustentação espiritual para grandes vitórias

Ostra feliz e perfeita não faz pérola que preste

Ninguém vai dormir nosso pesadelo conosco

Viver é telúrico

A gente tem que ter um pé e uma mão no underground, pra poder entender algumas coisas que de uma forma ou de outra vieram de subterrâneos de cabeças e mentes que se levantaram para gritar o vagido de não aceitarem as coisas como elas são

Pra quem não tem nenhum talento, nem dinheiro salva, porque ignorância pega, viça, brota e dá galhos podres

Vou me mostrando como sou, vou sendo como é possível e vou troçando quando rio de meus próprios limites existenciais

Não deixe de perdoar seus inimigos, eles são os heróis de suas vitórias para manter você aquecido de aberrações enquanto luta

A gente não faz rendinha, nem pouco caso, a gente faz tsuru original com papéis de silêncios de arroz e feijão

Relacionamento é baseado em três coisas: paciência, cerveja e apreendências de somas 

A coisa mais burramente moderna hoje em dia é envelhecer achando que é jovem fora de contexto e que é criança fora de estação

Se vamos atravessar o deserto de nós mesmos, que seja com a esperança da águia, o silêncio da serpente e a braveza de nossas próprias desesperadas ilusões

Sinto-me inteiramente livre para me perder de mim mesmo.

Mentiras no avesso ainda são mentiras com camuflos de impropriedades

Só  mesmo um medo da solidão pessoal, particular e intima, dolorosa, portanto, para tentarmos explicar certas amizades perigosas e certos casamentos saturados de infernos unilaterais

Sapo pula não por boniteza, mas porque está com oxiurose e não alcança o lugar detravessado para coçar

Quem não sabe rir de si mesmo não sabe chorar pela praga que é a barbárie da civilização

Aqueles que querem atravancar nossos caminhos, são também nossos caminhos como referenciais de sins e de nãos

Quem tem opinião tem inimigos, mesmo quando late para cachorros surdos de rabos presos em mesmices

Se os fatos não correspondem à realidade, a poesia explica o indizível com palavras sábias

A razão dá-se a quem tem perguntamentos e indagações de buscas difíceis

O que você pensa a meu respeito é problema da minha cruz, vai encarar para que pese na sua?

Se for falar mal de mim, me chame. Que sei me defender com cacos de espelhos, lágrimas nos olhos e sangue nas cicatrizes

As gotas da chuva quando caem trazem informações do outro lado do universo

Onde não há pão, não há paz, não há luz, não há mãe

Há palavras que nos chamam de meu amor em silêncio, mas sempre estamos surdos e não queremos paz de espírito se não merecemos ter o que não sabemos ter

Nunca deixei que o fracasso me subisse a cabeça, por isso o álcool e a poesia me chegam primeiro e me transfiguram

Quanto mais eu oro, mais a aproximação com o clarificado me aparece

As vezes o inimigo nos faz um favor, porque nos mantém com as baterias ligadas em tomadas de lutas e plugues cósmicas que nos potencializam…

Poetinha Silas da Série “Trufas Letrais, Levou Quem Trouxe”

Silas Correa Leite

E-mail: poesilas@terra.com.br

www.artistasdeitarare.blogspot.com/

 artelouca

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s